You have reached the website

Café de norte a sul

A bebida que a gente ama chegou ao território brasileiro no século XVIII e se espalhou pelos quatro cantos do país, com seu aroma e sabor contagiantes. Vem com a gente para um passeio pelas regiões produtoras de café no Brasil!

Todo mundo sabe que Minas Gerais produz muito café, e de excelente qualidade, e o interior de São Paulo também é bem tradicional nesse assunto. Mas, você sabia que o Espírito Santo também tem grãos de qualidade excepcional? E que é possível plantar café até na Bahia e no Paraná? Cada lugar tem suas características particulares, mas todos têm uma coisa em comum: são capazes de produzir muito café de ótima qualidade. Conheça as principais regiões cafeicultoras do país!

Bahia

As cidades do oeste baiano – onde está situado o município de Vitória da Conquista – transformaram o estado no quarto maior produtor do Brasil. O clima, com chuvas concentradas e luminosidade na medida certa, dá origem a um grão de sabor frutado, acidez marcante e com corpo médio. A Chapada Diamantina e suas formas únicas são um convite a se aventurar pela natureza em cachoeiras e trilhas ecológicas.

Espírito Santo

Além da moqueca e do litoral com belas praias, os capixabas podem se orgulhar de outro patrimônio: o café. Só em 2016, foram produzidos 4 milhões de sacas de café Arábica e 5 milhões de sacas de Conilon, da variedade Robusta, mais intensa e encorpada no paladar. A jornada começou no início do século passado quando imigrantes italianos e alemães se instalaram na região serrana do Espírito Santo. As cidades de Domingos Martins e Santa Teresa, que ainda guardam traços daquele tempo, são bons destinos para quem quer conhecer as fazendas e passar uns dias de folga em meio a um cenário charmoso, com clima ameno durante o dia e frio à noite.

Minas Gerais

Responsável por mais da metade da produção de café no Brasil, a terra do pão de queijo abriga três regiões produtoras do grão, que pode tender para um sabor suave, encorpado ou bem doce. Em Coromandel, município onde nasce o blend NESCAFÉ® Dolce Gusto® Catuaí do Cerrado, a bebida é mais encorpada e tem doçura característica. No Vale do Jequitinhonha, mais quente, a pungência é o grande destaque. E, na parte sul do Estado, o que predomina é o sabor doce, com acidez mais presente. Se estiver no Estado, vale a pena fazer o percurso da Estrada Real, caminho que passa pelas cidades históricas de Ouro Preto, Diamantina e São João del Rey e se estende até a divisa com a Bahia. Ao sul, nas cidades de Cristina e Santo Antônio de Minas, prove a bebida produzida por lá, suave e adocicada no paladar, e com aroma que remete à flor de laranjeira.

Paraná

A vinda de imigrantes europeus e migrantes nordestinos para as cidades do norte do Estado, como Londrina, onde também se localiza o Museu da Sociedade Rural do Paraná, deram origem a pequenos povoados que mais tarde se tornariam os municípios de Cafeara e Cafelândia. O grão paranaense – que já enfrentou geadas e atravessou crises econômicas – guarda uma doçura média, acidez moderada e aroma de cacau. Na região, também é possível conhecer as fazendas produtoras.

São Paulo

Para manter o fôlego no dia a dia ou contemplar a natureza, os paulistas não dispensam um bom café. E o interior do estado produz alguns dos mais premiados grãos do país hoje, ao lado de Minas Gerais e Espírito Santo. Na Região de Alta Mogiana – que abrange Franca, São Joaquim da Barra e outros 19 municípios – o grão tem notas de caramelo e chocolate, um corpo consistente e é naturalmente doce. Já na cidade de Serra Negra, famosa por suas águas e pela gastronomia, o café é mais suave e tem um aroma que mescla notas florais e cítricas. Nos dois lugares, é possível agendar visitas monitoradas por fazendas e conhecer um pouco mais do caminho percorrido entre a colheita e a xícara.

 

FALAR DE CAFÉ DÁ MAIS VONTADE AINDA DE ESCOLHER UM NESCAFÉ® DOLCE GUSTO®, NÉ? APROVEITE NOSSAS OFERTAS E CONHEÇA TODAS AS NOSSAS BEBIDAS: CONHEÇA